segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

Para todos vocês

A quem prefiro não me referir
que não me lêem
e não me escutam
Que não me lembram
Para todos vocês.

Esperar que voltes é tão inútil como o sorriso escancarado dos mortos na necrologia dos jornais.
E no entanto de cada vez que a noite se rasga em barulhos no elevador
e um telefone se debruça do sexto andar
Sinto que ainda ficou uma palavra minha esquecida na tua boca
e que vai voltar
para a devolver.
(Alice Vieira - Os armários da Noite)