quarta-feira, 15 de abril de 2015

Resenha: Full House Thai


Ficha Técnica: 
Nome em Tailandês: วุ่นนัก รักเต็มบ้าน
Romanização: Woon nuk ruk tem barn
Ano de Exibição: 
2014
Gênero: 
Romance/Comédia
Número de Episódios: 
20
Personagens Principais: 
Mike Pirath Nitipaisankul como Mike D.Angelo
Aom Sucharat Manaying como Aom-am
Utt Uttsada Panichkul como Guy
Jane Janesuda Parnto como Mintra

Alertas: Surtação total/Shipp até na vida real.
Meu primeiro dorama Thai/Lakorn.
Esse drama é um remake do Full House coreano, que confesso nunca ter visto apesar de saber que é um dos mais famosos doramas. Confesso também que não vou ver. Saber que o Bi Rain trabalha nesse dorama é um dos motivos. Sim, acho o Rain bonito mas sinceramente, não consigo gostar da atuação dele. Acho ele monótono demais. She's so lovable me fez arranjar uma encrenquinha ainda maior com ele. Sei que muita gente gosta do Bi Rain, mas pra mim não rola.

Atores/Personagens:
Vou falar que nem sabia da existência desses atores antes de ver Full House. Nunca tinha acompanhado um drama Tailandês antes. Já vi uns 3 filmes e nenhum deles foi assim tão maravilhoso, o que me deixou com o pé atrás na hora de decidir ver Full House Thai. Decidi dar uma chance e vi o primeiro episódio. Continuei a ver porque uma pessoazinha me cativou e essa pessoa se chama Aom-am.
Aom-am é uma menina engraçada, determinada e muito forte. Do tipo de personagem que gosto muito. Daquelas que choram, mas apenas quando tudo está bem ruim mesmo. E ela toma decisões, é perseverante e não se deixa abater por qualquer coisinha. Ela é uma escritora/roteirista frustrada. Todos os seus roteiros não são aceitos e ela vive em uma situação apertada com a irmã (Om). As duas moram na casa que antes viviam com seus pais. Aom-am é muito apegada a casa e as lembranças da família que ela mantém ali.
O que não pude deixar de notar também foi no figurino de Aom-am. Estou acostumada com dramas coreanos em que a mocinha se veste como mendiga. Não se cuida, vive se escondendo. Mas Aom-am se veste bem. Nota-se que ela não tem um guarda-roupa enorme, mas com as roupas que tem consegue se virar. Isso dá um certo ar de realidade. No final das contas, conseguiram fazer uma menina que não é rica parecida com as meninas da vida real. Sem nenhum exagero nem pra mais e nem pra menos.
Saindo totalmente do foco, a Aom Sushar (a atriz, é difícil quando tem os mesmos nomes) fez o primeiro filme com temática lésbica da Tailândia. Eu vi o filme. É leve, comédia romântica. As duas são bonitinhas juntas. Já o segundo filme foi bem ruinzinho.




Mike D.Angelo é o mocinho clichê: famoso, rico, cantor e ator. E principalmente, apaixonado por uma mulher chata que não quer nada com ele (até a página dois). 
Mas ele gosta do quê faz, não reclama do trabalho e pra quebrar um pouco o clichê, é engraçado e espontâneo. Mike conhece Mintra há muito tempo e por conta de uma promessa que fez à ela, sua ligação nunca se rompe; Ao passar dos capítulos, podemos notar que Mike é ligado a sua família mas que não mantêm uma boa relação com seu pai. A família de Mike aparece com frequência do Drama e é com essas aparições que notamos a formalidade de um casamento, principalmente na Thailândia. O ritual casamento é extremamente diferente do que estamos acostumados.



História dos protagonistas:
Aom e Mike se conhecem devido a uma viagem dos dois à Coréia do Sul. Aom acredita que sua irmã ganhou a viagem com tudo pago, mas na verdade a mesma está querendo esconder o fato de que está grávida e que precisa de dinheiro. E para conseguir esse dinheiro, Om decide vender a casa de seus pais, a casa que Aom tanto ama e que nunca deixaria ser vendida.
Na viagem a Coréia, além de Mike - que conhece na ida, no avião - Aom também conhece Guy, que a ajuda em sua dificuldades com a língua coreana e em outras coisas. Muitas coisas acontecem nessa viagem mas Aom tem que voltar pra casa, quando se vê sem dinheiro para voltar, tem a ideia de pedir emprestado a Mike, então depois de muito perturbá-lo consegue o dinheiro com a promessa de que devolverá tudo depois.
Ao voltar à Thailândia, Aom finalmente descobre que sua casa foi vendida e pior ainda, o comprador da casa era o Mike. 
Aom tenta se explicar, mas só consegue ficar na casa por um contrato em que a mesma trabalharia lá até encontrar outro lugar pra ficar. Mike e Aom não se dão muito bem no começo, Aom é respondona e Mike é folgado. Certo dia, os dois vão a uma "festa" e nessa festa Mike decide se declarar para Mintra, que convenhamos é uma chata, não dá atenção e esnoba total o cara. Mike, vendo que os paparazzi estavam de olho nele, pra não sair por baixo, se declarou para Aom na frente de todo mundo.
A partir daí, Mike propõe a Aom um casamento de mentira por dois anos, se tudo corresse bem e ninguém ficasse sabendo da farsa, ela poderia ter a casa de volta.

Química Supreendente:

Aos que estão acostumados a ver doramas assim como eu, sabem que um casal principal com uma química maravilhosa não é assim tão fácil. E sinceramente, na primeira vez que vi fotos da Aom e do Mike achei que eles tinham nada a ver. Achei os dois com cara de serem super novinhos. Mas depois que comecei a assistir Full House (e a stalkear os dois atores) percebi que o shipp não se limitaria apenas ao drama. Os dois são tão perfeitos juntos que ganhariam um concurso de melhor casal de doramas (agora que vi Healer, talvez eles ficassem em segundo lugar). Os dois protagonizam as melhores cenas de amorzinho, de implicância e de ciúmes. Aom Am, inclusive, protagoniza umas das melhores cenas de declarações de amor que eu já vi na minha vida.
Os dois são grandes amigos na vida real. Aom vive fazendo participação especial no instagram de Mike, os dois se encontram as vezes e eu vos digo que um dia... quem sabe um dia... #NãoMeDecepcionem



Minha opinião sobre o drama:

Se você é daqueles que exigem uma história avassaladora, um enrendo fantástico e tudo mais, talvez esse dorama não seja pra você. Eu amo Full House Thai, ele é um dos meus dramas preferidos. Mas não por causa da história e sim pelos atores, pelos personagens e por como ele me cativou com a história que flui muito fácil conforme os capítulos passam. Mas ele não deixa de ser extremamente bobo, e isso não é uma crítica, na verdade pra mim é até um ponto positivo. Você consegue assistir vários capítulos num mesmo dia sem se cansar. Além de ter uma ótima fotografia e viagens muito bem detalhadas à Coréia do Sul.


O.S.T:

Se tem uma música que de tanto tocar chega a encher o saco, essa música é Oh Baby I, interpretada por ambos os principais, Mike e Aom.

Oh Baby I - OST Full House

Lovely Day - OST Full House Thai


Você pode assistir online Aqui no Viki.