sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Esperei o tempo falar por mim.

Talvez eu seja, só um novo amigo.
Talvez eu queira, te levar comigo.

Já é o fim da história. É bem de mim falar do fim no meio, do meio no fim e por fim, falar do começo. É bem de mim me contradizer.
Mas eu não tô falando de mim. Eu tô falando dela. 
Na verdade, tô falando de como ela virou tão essencial. Como se eu não pudesse mais viver, sabendo que nunca mais a veria.
Não era pra ser assim, quer dizer... fala sério, eu não tinha que sentir nada. 
Ele se esquece disso, as vezes.
Agora eu me pego pensando, em como eu vou fazer, como eu vou falar pra ela que eu TENHO que ir. 
Não que eu QUERO ir.

O que vai acontecer com a gente quando ela não se lembrar mais de mim? Por que ela não vai se lembrar...
E eu? Vou conseguir "viver" lembrando dela todos os dias, sabendo que ela não vai se lembrar de mim?

A questão por trás disso, talvez nem seja essa. A questão por trás disso é: Como vou fazer para deixar de amá-la? Isso é, se eu conseguir - ou ao menos tentar. - 

Pra bem longe daqui.
Onde nem o céu seja o limite.

-YURI


JRS



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por reservar uns minutinhos para ler meu blog. Fico agradecida! =) E obrigada por comentar!!
Ass: Julia Siqueira