domingo, 15 de janeiro de 2012

angel divino, me cuidas del mal.

- Isso são tipo, asas? – ela perguntou, meio aflita, com os olhos semicerrados de um jeito meio bonito demais, até.
- Sim, são. – Eu respondi por alto. – Mas elas somem se eu quiser. Quem eu quero que as veja, vão ver e quem eu não quero…
- E porque você quer que eu veja? – Ela me interrompeu.
- Pra você poder entender que não sou normal como você, não tenho sua idade, não faço as mesmas coisas que você. Eu sou um anjo, eu estou aqui pra uma missão, e só.
- Que missão?
- Não faça essa pergunta. – Eu sentei no chão, fiz desaparecer minhas asas e pus as mãos em minha cabeça. – Você já sabe a resposta.
- Se você é um anjo da guarda não era pra eu não saber da sua existência. Tipo, pensar que você existia, como todas as garotas idiotas acreditam, um anjo da guarda que me proteje, mas não poder conversar com você, nem te tocar…
Ela continuava de pé. E abaixou as mãos pra poder tocar bem de leve, meio sorrateira, meu cabelo. Mas ela pegou confiança, desceu as mãos até meu rosto e permaneceu com elas lá.
Eu suspirei.
- Não torne isso mais difícil do que já está sendo, por favor. – Eu levantei a cabeça a fim de tiras as mãos dela dali.
- Desculpa, eu não queria assustar você. – Ela sussurrou.
- Não me assustou. Você não entende? Eu quero isso. – Eu peguei a mão dela e a olhei. – Eu quero o seu toque, eu quero escutar a sua voz todos os dias. Eu quero sempre estar ao seu lado, mas eu não posso. Eu não sou Humano, eu não sou como você. Você deve crescer, estudar, trabalhar, conhecer um cara legal, namorar com ele, casar com ele, ter filhos com ele, ser feliz com ele e morrer sabendo que teve uma vida completa. O meu trabalho é só cuidar para que você tome o caminho certo, para que você seja direcionada a isso. – Eu larguei a mão dela.
- Eu ainda tenho meu livre arbítrio, certo? – Ela perguntou olhando pra baixo.
- Sempre terá. As escolhas são suas.
- Então eu nunca vou querer outra pessoas a não ser você. E se acostume com isso, pois EU decidi. Nem você, nem ninguém poderá fazer nada a respeito. E boa noite. – Ela disse, cruzando os braços, me dando as costas e saindo emburrada pela rua.

Ah sim, como se eu pudesse deixar ela ir sozinha.

Sé que tus alas se quedan conmigo
Que desde el cielo tu abrazo es mi abrigo
Ángel divino me cuidas del mal
Sé que camino con tu compañía
Que con tu voz se me encienden los días
Aunque tu puerta hoy este más allá....
Te puedo escuchar


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por reservar uns minutinhos para ler meu blog. Fico agradecida! =) E obrigada por comentar!!
Ass: Julia Siqueira