sábado, 10 de dezembro de 2011

Ne me quitte pas.



"Eu farei uma Terra,
Onde o amor será rei,
Onde o amor será lei
e você será rainha."

Eu vou. Eu vou sim. Não vou ter medo de nada. Vou entrar por aquele corredor e nada de ruim vai acontecer. Estou falando de uma pessoa perfeita, de todas as maneiras, ela não pode ir assim, ela ainda é tão... minha. Ela não pode ir assim.
Essas paredes brancas e sem vida não combinam nada com ela. Eu não queria estar aqui, realmente. Mas por ela, não sei o porquê, faria tudo, como se fosse nada, como se não doesse, como se fosse por mim que o fizesse.
Ela faz parte de mim. Ela não pode me deixar. Eu ainda não falei tudo o que deveria ter lhe falado, ela ainda não sabe do quanto eu a amo, do quanto eu sofro sem ela. Ela não sabe nem do começo, Deus. Não me deixe. Mas porque deveria ter acontecido com ela? Ela não o perdoaria agora, não é? Quase causou sua morte. Eu juro que se algo de ruim acontecer, eu mato ele. E depois... me mato. Não seria um mundo pra mim, sem ela por aqui.
Seria triste, seria vazio. Por favor Deus, não leve ela agora. Eu tenho tanta coisa pra dizer pra ela. Como eu fui tão idiota. Tive tanto tempo e deixei ela... ir atrás dele. A culpa disso tudo foi exclusivamente minha. Se ela se for eu não mato ele, eu me mato. Eu não deveria estar aqui. Se eu não tivesse aparecido na vida dela, ela poderia estar com ele. Ela poderia ter conseguido. Mas eu sei o quanto ele é egoísta, não ela não conseguiria.
Como estamos longe, mesmo a quinze passos. Uma porta branca nos separa e um milhão de anos luz ao mesmo tempo. Nunca a vi tão... quieta. Não parece ser ela mesma. Não posso ver seus olhos. Os olhos lindos, indecisos e verde-amarelados que ela tem. Não posso ler seus sentimentos, não posso ver suas cores.
Por favor não me deixa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por reservar uns minutinhos para ler meu blog. Fico agradecida! =) E obrigada por comentar!!
Ass: Julia Siqueira