domingo, 11 de setembro de 2011

Pois não seria eu.

Eu não quero parecer indelicada, mas acho que te estraguei ao dizer que queria fazer parte da sua vida vazia. Você era uma pessoa melhor quando pensava ser quem não era. Ao ver quem você se tornou, me pareço triste, pois parte disso é culpa minha. Mas não se sinta aliviado pela metade, estou falando da terça parte, o resto, é tudo seu. Lide com isso do jeito que mais achar conveniente. Seu coração parecia bater em seu peito quando você fingia remoer cicatrizes que nunca existiram, agora ele está por aí, caído em algum lugar que nem mesmo você sabe aonde fica.
Sei que voce não se importa nem um pouco com quantas pessoas saíram magoadas dessa história, mas eu não vou deixar você esquecer, você sabe.
Sim, eu me sinto idiota. Por voltar aqui e escrever isso milhares de vezes sabendo que não adianta nada. O que eu falo nunca fez você pensar em entender, nunca faz você mudar. Agora, então, não vai fazer nem você ler até o fim.
Ainda não entendo porque minhas palavras se viram até teu encontro e te levam a mão na cara, se você não as sente mais. Não entendo o porque de meus títulos sem sentidos terem todo o sentido possível pra mim. Não sei porque tudo isso não está mais em lugar nenhum dentro de mim mas eu aindo o sinto ao avesso. O que era amor agora é uma grande agonia que me impede de ser quem sou. O que tu estragou ninguém mais consegue concertar. Acho que não seria eu, se fosse fácil assim.

            Julia S!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Obrigada por reservar uns minutinhos para ler meu blog. Fico agradecida! =) E obrigada por comentar!!
Ass: Julia Siqueira