sexta-feira, 29 de julho de 2011

Por amarte.




Eu ainda olhava tudo naquela prateleira bagunçada. Era impossível, mas havia de tudo ali: chaveiros, DVD's, dinheiro, identidade, uma caixa inútil que eu nem sabia por que estava ali, postêrs, dois relógios -porque afinal, ela tem dois braços. - um celular, cd's jogados fora da capa e um quadro de anjo rabiscado por uma pessoa bem desequilibrada. Seu DVD novo de sua artista preferida brilhava entre os demais, quase que avisando para ninguém o tocar, a não ser que essa pessoa queira morrer. Sua cama que frequentemente se encontrava bagunçada, hoje, estava arrumada. Por seus pensamentos, ela não queria escutar sua mãe “enchendo o saco”.
Ela estava no banho agora. E eu sabia que se ela pudesse me ver, nunca deixaria que eu a observasse lá. E eu não queria tirar essa privacidade dela. Eu a amava, desde que nasceu.
Eu não sei porque estou falando aqui, ainda que não tenha me pronunciado antes – e nem deveria, já que minha existência nunca será revelada. -, sempre notei que as vezes, a maioria das pessoas fazem ideias completamente contrárias sobre ela. E eu, bem, queria deixar claro que, por ser a pessoa que mais conviveu com ela em toda a sua existência, posso provar que vocês estão completamente errados.
Algumas pessoas dizem que ela é avoada. Não tem cuidado com nada e muito menos é delicada. Bom, pelo que conheço dela, sei que ela é super perfeccionista, - mas somente com as coisas que ela quer ser, porque afinal, ela pensa em tudo, muito antes de ter a ideia de fazer. - E realmente, ela não é delicada. Mas isso não quer dizer que ela não possa ser, quando ela quiser.
Outras dessas pessoas dizem que ela não tem talento para coisa alguma, e que leva tudo na brincadeira. Bom, já ouvi dizerem pra ela que seus textos são ótimos e que ela tem talento como escritora, que sua voz é linda e que ela tem talento como cantora e que lida com problemas tão bem que daria uma ótima psicóloga. Se isso não é ter talento pra nada, então eu não sei mais o que é ser talentosa. E sim, ela leva tudo na brincadeira mesmo, mas Deus sabe – e particularmente, eu sei também. - que as vezes ela leva na brincadeira, pra não te dar um soco no meio da cara.
Alguns dizem que ela é espontânea demais, chata demais, irritada demais. Ela é realmente muito chata, concordo, tão chata quanto ela quis ser. Quem a aguenta há anos sabe o quanto de chatice ela pode conter desde sua cabeça até os dedos dos pés. Mas ela é demais mesmo. Tudo nela é demais, ela não força isso, sua espontaneidade vem junto com sua ira, sua batalha e seu valor. E não a julgue por ter valor. A maioria das pessoas na Terra, hoje em dia, não o tem. E isso é bastante conveniente agora. Mas eu já temia que esse momento acontecesse, até já me preparei.
Algumas perguntas são feitas à mim frequentemente por ela. Mas convenientemente, ela já sabe todas as respostas.
Mas uma volta por seu quarto. Ela é tão fácil de decifrar, mas ninguém nunca consegue. Não sei se é porque eu tenho mais facilidade do quê os seres humanos, ou se é por que os seres humanos não tem facilidade nenhuma. Alguém já a enganou, dizendo que tinha a decifrado. E Deus sabe, como eu sofri nesse momento. Vendo toda a mentira e ilusão tão perto dela, sem poder fazer nada. Apenas falar em seu ouvido e torcer pra ela me escutar. As vezes, ela não me escuta e acaba tomando o caminho errado. E uma dessas vezes em que ela errou, foi meu erro também. Quase apareci, quase. Mas não pude. Bem a tempo ela se livrou da angustia, da ilusão e da mentira e eu pude respirar de novo. Por isso não o mato, por isso. Por ter feito ela sair de um lugar tão escuro onde ela estava. Por isso falo obrigado todos os dias em que ele chega.
Tenho que dizer também que, quando convivemos muito tempo com a mesma pessoa, acabamos adquirindo capacidades ou sentimentos que elas tem. Na verdade adquirimos os mais fortes, os que mais aparecem. Passei tanto tempo com ela que acabei ficando ciumento, possessivo e irônico. Agora, é difícil exercer a minha função sendo três coisas tão corriqueiras quanto essas! Tenho que ser bom, tenho que ser justo, tenho que ser fiel e principalmente, não posso interferir em nada que ela faça, muito menos em suas escolhas, nisso tenho sorte. Ela é tão julgadora quanto eu e sempre se mete a valentona. Então, pessoas erradas nunca se metem a besta com ela.
Quantas borboletas existem nessa parede? Quantas vezes ela já tentou escrever aquele maldito livro, sobre aquele maldito menino. Os dois malditos meninos. Tanta gente se metendo, tanta gente...
Eu sei que fui destinado a protegê-la. Mas as vezes faço mais do que isso. Fico com ela 24 horas por dia - tirando os momentos no banheiro, em que seria constrangedor para nós dois. - e sei que muitas vezes ela sente pontadas no coração e sorri de dor e de felicidade. Sua estranheza de rir com a dor eu já entendi. É que ela fica feliz de saber que ainda tem um coração. E fica feliz de saber que ainda sente alguma coisa nele.
Mas eu não posso ficar aqui o dia inteiro. Tenho que continuar apesar de tudo. Porque ela continuou...
_______________________________________________ ...
Eu nunca vou deixar você cair Eu estarei com você para sempre.
 Eu
estarei lá
 com você apesar de tudo.
  Não olhe para o céu, olhe dentro de si, eu estou aqui.


Um comentário:

  1. Para de escrever bem desse jeito. Assim eu não consigo escrever nada.
    Amei, amei, amei. Sutil - e ao mesmo tempo forte - , tocante, meio dramático... sensacional.
    Alguma vez eu já disse que te amo?

    ResponderExcluir

Obrigada por reservar uns minutinhos para ler meu blog. Fico agradecida! =) E obrigada por comentar!!
Ass: Julia Siqueira