sábado, 28 de maio de 2011

Seja quem quer ser.

Pode até parecer que não seja novidade. Mas todo mundo tem uma péssima mania de se sentir ameaçado. Você não precisa ser quem as pessoas querem que você seja. Você só precisa ser quem você é. Você pode ser idiota, mesquinho, arrogante, influenciável, bobo, infantil... desde que seja valor de você mesmo. O que não vale é querer sempre que o aceitem, por quem você não é, porque um belo -belo mesmo- dia, todo mundo vai perceber que é tudo fingimento, até você. Porque você se engana sabe, finge tanto que acaba entrando na própria mentira, olha como você é idiota, enganou a si mesmo. Nada a ver ser desse jeito, se você pode ser do seu jeito. Se você gosta de miojo com banana e canela, de ouvir Luka, de cantar uma musica especifica quando está chovendo. Se você gosta mais de animais do que de pessoas, de falar sozinho, de criar coisas inúteis, de escrever, de ler, de ser idiota, de rir de uma coisa completamente retardada, de ter 60 anos e ainda não ter descoberto a piada sem graça que te contaram aos 13. Se você ama alguém desde que nasceu e pretende ficar com ela o resto da sua vida, é motivo de orgulho, você devia se orgulhar, não prestar atenção nas pessoas que dizem que você deveria experimentar mais a vida, antes de fazer uma escolha como essa. Se você acha que o (a) ama, vá em frente, vá por você, não por qualquer outra pessoa, vá porque você acredita no seu amor. Se você acredita, quem vai te provar do contrário?!
Manda ir a merda se você estiver sem paciência, ensine alguma coisa útil a alguém, coloque na sua cabeça as besteiras que você pensa, não as dos outros. Seja bobo, seja ridículo, obsceno, alto, baixo, careca ou com o cabelo de 25 cores. Seja você, sempre.

Ria, sorria e ria de novo:
- Julia Siqueira

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Julia sabe. (Sei mesmo)

Algumas pessoas chamam de banda, a gente chama só de "sexta feira na casa da Aline, pra imitar Nordestino -nada contra, aliás- surtar com irmãos aparecendo do nada, comer pastel de carne seca, mandar a Maria Rita parar de beber e tocar violão." Pra algumas pessoas pode até ser meio bizarro o nome da banda e suas integrantes, mas que se foda né gente?! É.
Bom, nós três somos bem diferentes...
Aline é meio que a cabeça da história - sim Aline, riamuitoconosco. - Ela que escreve as músicas, inventa o nome da banda e sede sua casa para que nós possamos brincar lá.
Valentina (Mais conhecida como Rita), é a filha da puta que toca pra caralho e perturba muito todos. Uma bêbada que a gente não consegue deixar de amar -nem quer.-
E tem eu.
É, a gente brinca muito, canta muito, se diverte muito, fala merda pra caralho...
E um dia a gente vai fazer um show pra mais de 3 pessoas. Tenho fé nisso.
Ah, e só pra deixar claro, eu não sei de nada.

sábado, 21 de maio de 2011

Idiota.


Idiota, do jeito mais terrível possível. Não havia nada que o fizesse parar de falar. Idiota, como era bom ter você, mesmo sem poder te ver, sonhar que um dia a gente acordaria. Idiota, quanto tempo a gente passou e nunca sequer notou o que esteve sempre ali. Idiota, você sempre foi o primeiro, valeu a pena te fazer sorrir. Você não conseguiu ver, o que sempre esteve na tua frente, com você era diferente… Você me fazia sentir como se não houvesse nada entre nós, fazia de quilômentos, lençóis… “Nunca sinta falta do que passou.”, ” Nunca haja como se fosse a culpada.”, “Você é a mulher mais perigosa sem nem estar armada.” Idiota, como a gente se enganou, e assim o tempo passou, e você, ele me levou. Idiota, como a gente errou e não aproveitou, como a gente se iludiu, meu Deus, o que a gente preferiu…

I will always be here
to remember you of just
beautiful you are.

I will always thank you
for take my heart
And show him the true
Julia Siqueira!



Selo "Julia Sabe" de autenticidade. Vtnc!

domingo, 15 de maio de 2011

Trying to fly, but is so difficult in a fairytale.

Nunca fui muito de acreditar em contos de fada. Eu nunca gostei de nenhuma história desse tipo, se você parar pra pensar, elas são iguais e no meio delas você já imagina o final, que é o mesmo sempre. E se houvesse um novo conto? Um do tipo: "Oi, eu não sou loira, não tenho olhos azuis. Sou uma pessoa normal. Não sou rica, não tenho um corpo perfeito e não sou uma santa, aliás eu sou má as vezes, mas eu sou boa também. Fui raptada, mas nenhum príncipe veio me salvar, eu não tive que beijar nenhum sapo, nem recebi beijo de nenhum príncipe que se apaixonou por mim sem ao menos me ver uma vez. Eu tive de arrumar um jeito. Por mim mesma, eu me salvei. E não foi tão difícil. A gente aprende a fazer isso sozinha, já que ninguém faz por você. Eu fiquei muito tempo esperando, mas ninguém veio, e eu não sou de receber ajuda, muito menos de pedir... Nunca senti nada assim, acho que ninguém nunca sentiu. Eu não me sentia sozinha, como eu sempre me senti. Eu me senti renovada. Eu me salvei, e continuei sendo livre, do jeito que eu nunca havia sido antes."

sábado, 14 de maio de 2011

Última chance.


Só ame, não há nada de errado nisso, você não se machucará dessa vez eu prometo. Esquece toda aquela história de que nunca teria um fim, porque teve! E você tá aqui. Sobreviveu, não foi?! E não me venha com "Mas ainda estou cheio de cicatrizes". Desde quando você ficou tão fraco que não aguenta uma ou duas delas? Desde quando você precisa que alguém o remende? Não é possível que você tenha virado tão mesquinho assim. Você não me abandonou da última vez, porque eu deveria acreditar que você me abandonaria agora? Ah, cala a boca. Daqui a uma semana você esquece tudo o que aconteceu. O quê? Como não? Não vai esquecer? Ah tá. Como se você pensasse duas vezes em alguma coisa. Essa é a última chance não é? A última chance de se ter reconstruído de novo. Eu aceito isso. Eu acho que você deveria controlar mais isso mesmo. Não é como nenhum outro, eu sei. É diferente. Mas o que eu posso fazer? Eu sou diferente. Mas me promete uma coisa? Que vai cair fora se algo der errado. Por favor. E que dessa vez não vai se jogar de corpo e alma como se fosse a última coisa que fizesse na sua vida. Aliás, coração tem vida? Não é a última coisa que vai fazer né? É só a última chance. Ok. Então tá combinado.